Prefeitura Municipal de Bom Despacho

Atenção: as funções do site requerem que o Javascript esteja habilitado!
Ative-o e recarregue a página novamente.

Meio Ambiente

Amanhã é Dia da Árvore: aprenda que folha no chão não é lixo

Açacu em frente à rodoviária.

Todo mundo já ouviu aquela canção da dupla Sandy e Júnior que diz: “no outono é sempre igual, as folhas caem no quintal…”. Mas poucos sabem o motivo das folhas caírem no outono.

Vamos te contar mais sobre isso: o Brasil é um País de altas temperaturas. Por isso, quando chega a temporada seca, que abrange o outono e o inverno, as folhas de algumas espécies de árvore caem para evitar a perda de água e a desidratação.

Também caem no chão para se decomporem, enriquecerem o solo e fornecerem nutrientes para as plantas. Outra vantagem dessa estratégia está na economia de energia. Algumas espécies de árvores usam a energia poupada, por não precisarem nutrir as folhas, na sua produção de flores. Repare no ipê. Ele sempre floresce na época de seca, mesmo sem folhas.

Por tudo isso, mesmo quando estão em decomposição no solo, as folhas são fundamentais para a preservação das árvores.

Folha no chão não é lixo.

Rua do Rosário está ainda mais limpa e bonita

Marilda

A Secretaria de Meio Ambiente reforçou a capina e a varrição na Rua do Rosário, no Bairro São José. Agora, a entrada da cidade está ainda mais bonita para os bom-despachenses e para os visitantes.

A pedagoga Marilda Cordeiro elogiou o trabalho. “O trabalho está ótimo. A cidade está muito limpa. Chama a minha atenção o fato de não ter lixo na rua”, ressalta.

A limpeza e a capina estão sendo reforçadas em todos os bairros. “Vamos passar por todos os cantos da cidade. Muitos já estão limpinhos. Para manter a cidade bonita assim peço seu apoio. Por favor, não jogue lixo nas ruas, passeios, lotes vagos. Espere o momento e dia do caminhão passar para colocar o lixo na sua porta; sempre pendurado para evitar que animais o rasguem. Não coloque lixo para fora domingos e feriados”, destaca a secretária de Meio Ambiente, Andréia Araújo.

Avenida Dr. Roberto está ficando ainda mais segura e bonita

Carlos Felipe

Para deixar a Avenida Dr. Roberto ainda mais segura e bonita para a população, a Prefeitura reforçou a varrição e a capina. A Secretaria de Meio Ambiente também está limpando todo o canal.

Cidadãos que passam e trabalham na avenida já estão sendo beneficiados com as melhorias. “Estamos gostando demais. Para quem anda de moto como eu, a rua cheia de areia é perigosa. Agora estão limpando e deixando tudo organizado. Isso dá mais segurança”, agradece Carlos Felipe, que trabalha em uma oficina na Dr. Roberto.

A Avenida Dr. Roberto é importante para os bom-despachenses. Liga os Bairros Jardim dos Anjos I e II, Novo São José, Palmeiras, Jardim América e Nossa Senhora do Rosário. Além disso é usada para prática de atividades físicas como corrida e caminhada. Por isso está sempre movimentada.

Prefeitura realiza Operação Limpeza na Av. Roberto

Adélio

A Prefeitura está realizando uma operação de limpeza na Avenida Dr. Roberto. A operação conta com limpeza do canal, varrição, capina. Pessoas que caminham no trecho poderão aproveitar melhor as atividades.

É o caso do enfermeito Adelio Rodrigues. “É muito importante ter a cidade limpa. Gera mais qualidade de vida para todos, principalmente para nós que caminhamos, praticamos atividades físicas”, ressalta.

A equipe de limpeza também já passou pela Rua das Palmeiras.

Cidadão, fique atento ao Novo Código de Vigilância Sanitária

Um Novo Código de Vigilância Sanitária começará a valer a partir do dia 12 de setembro. As atividades serão classificadas conforme grau do risco. As de baixo risco serão licenciadas previamente à inspeção.

“Isso agilizará a abertura de novos negócios, o que aquece a economia e gera mais empregos”, destaca a gerente de Vigilância Sanitária, Maria Pessoa.

Restaurantes, açougues, farmácias, salão de beleza, clínicas médicas. A lei se aplica a todos os estabelecimentos sujeitos à inspeção da Vigilância Sanitária. Confira o novo código aqui.

Em Bom Despacho, proprietários de terras próximas ao Rio Capivari ganham dinheiro para preservá-lo

Em Bom Despacho, os produtores rurais com propriedades próximas ao Rio Capivari estão ganhando dinheiro para preservá-lo. 20 famílias já aderiram ao projeto. Três já estão recebendo R$ 750 por ano. Alguns exemplos de ações são plantio de árvores, limpeza do rio, cercamento de nascentes.

“Esses produtores deixam de produzir e começam a preservar suas terras. Com isso, o rio é revitalizado e produz mais água para a população. Todos ganham muito”, destaca um dos coordenadores do projeto e servidor da Prefeitura, Rogério Corgozinho.

O número de famílias beneficiadas pode aumentar. Basta que mais produtores participem. O valor pago também aumentará à medida que mais parceiros adiram ao projeto. Hoje, a Credibom faz os pagamentos. Clique aqui e saiba como ajudar a preservar o Rio Capivari.

Saiba mais – em 2015, a ANA abriu inscrições para que os municípios aderissem ao Programa Produtor de Águas. Bom Despacho inscreveu o projeto de recuperação do Capivari e concorreu com mais de cinco mil municípios. Para alegria dos bom-despachenses, a cidade ficou entre os nove primeiros aprovados. Com isso, recebeu mais de R$ 600 mil para fazer 100 barraginhas, 19 mil metros de cercamento e plantio de 18 mil mudas. Desde então, trabalha ações de preservação. Entre elas está a captação de produtores que queiram ajudar na recuperação do rio e de parceiros que queiram pagar pelos serviços desses produtores.

Atualmente, a ANA tem projetos assim em 78 cidades do País. Destas, 30 estão em Minas Gerais. No Estado, apenas cinco cidades já estão pagando os produtores por serviços ambientais. Uma delas é Bom Despacho; única no Centro Oeste.

Produtores serão qualificados para preservar Capivari – em setembro, Prefeitura e Faemg qualificarão os produtores inscritos no projeto para que eles saibam mais sobre como revitalizar o solo e outros recursos relacionados ao Capivari.

Inauguração Jardim e Pomar- Creche Dona Liquinha

Segunda (19) será feriado em Bom Despacho

Para marcar a Assunção de Nossa Senhora, segunda-feira, 19, será feriado em Bom Despacho. Durante todo o dia, o cidadão terá acesso aos serviços oferecidos na Página da Prefeitura. Por meio dela é possível fazer requerimentos, indicar lotes sujos ou lâmpadas danificadas, denunciar focos da dengue, atualizar cadastro imobiliário, solicitar vaga no ensino infantil, emitir nota fiscal eletrônica e muito mais.

Além desses serviços, o Pronto Atendimento disponibilizará dois médicos 24 horas. Mesmo com o feriado, a coleta de lixo será mantida. A limpeza das ruas será feita em pontos e vias por onde os cortes de Reinado passarão.

Preserve nossa cultura – até o dia 19, haverá na cidade a Festa do Reinado de Nossa Senhora do Rosário. A festa é a mais antiga manifestação cultural da cidade. Começou antes mesmo da emancipação política, em 1912. Por isso, foi registrada como Patrimônio Imaterial de Bom Despacho.

Para preservar essa tradição, que conta parte importante da nossa história, a Prefeitura repassou R$ 45 mil para a organização da festa.

Clique aqui para conferir a programação completa do Reinado 2019.

Prefeitura está capinando Alberto Antônio Ribeiro

A Secretaria de Meio Ambiente está capinando e roçando toda a cidade. Esta semana, a limpeza beneficiou os moradores da Alberto Antônio Ribeiro, atrás da Escola Miguel Gontijo, na Vila Aurora.

Eliana

“Com a capina, as ruas ficam mais bonitas e a vida da gente fica melhor”, ressalta a moradora da região, Eliana Ferreira.

A limpeza também já foi feita no Bairro São Vicente, nas Ruas Formiga, Expedicionários, Diamantina. Esta semana, o pessoal do Meio Ambiente limpará as ruas do Bairro Ana Rosa.

Conheça o exemplo do senhor Enéias, um dos protetores do Rio Capivari

Da esquerda para a direita: Mariana, Lúcia Franklin, Enéias, Consuelo da  Agência Nacional das Águas e Leanderson, da Prefeitura.

O Capivari abastece Bom Despacho. Para que a população receba dele água abundante e de qualidade, é necessário preservá-lo. Pensando nisso, a Prefeitura se uniu a vários parceiros. Um deles é o senhor Enéias Franklin, proprietário do Sítio Espírito Santo.

Desde que comprou o sítio, há 10 anos, ele luta para limpar e proteger o rio. “Havia muito lixo dentro dele. Catamos garrafas, vidros, plásticos e fizemos toda a limpeza”, afirmou.

Em visita ao sítio que faz parte do projeto de recuperação do Capivari, a representante da Faemg, Mariana Ramos, viu de perto o que foi realizado pela Prefeitura, parceiros e o senhor Enéias.

Ela elogiou o plantio de árvores, a preservação de área ribeirinha e todo o trabalho desenvolvido lá. “Podemos perceber a qualidade da água em função das obras de contenção desse solo. Fico satisfeita em ver esse resultado”, comemorou.

Ajude a recuperar o Rio Capivari – além da recuperação que é muito benéfica para todos, há também o reconhecimento em dinheiro. O produtor que participa do projeto recebe por isso.

Para fazer parte dessa corrente do bem, o proprietário de terras às margens do Capivari deve encaminhar a documentação exigida no edital de credenciamento para a Secretaria de Meio Ambiente, que fica na Rua Maestro Coimbra, 28, Bairro Esplanada.  A documentação também pode ser deixada na Secretaria de Agricultura, que fica na Praça Irmã Albuquerque, 45, 3° andar, Centro.

Saiba mais sobre a recuperação do Rio Capivari

Prefeitura e parceiros se reúnem para preservar o Rio Capivari

Na foto, da esquerda à direita: Mariana Ramos (Faemg), Maria de Fátima Rodrigues (Secretária de Planejamento), Consuelo Marra (ANA), Leanderson Rever (Secretaria de Agricultura), Rogério Corgosinho (Secretaria de Planejamento) e Gleiciane Santos (Sicoob Credibom)

A Prefeitura promoveu reunião com a Agência Nacional de Águas (ANA), a Federação da Agricultura e Pecuária de Minas Gerais (Faemg) e a Unidade Gestora do Projeto de Recuperação do Rio Capivari.

Na oportunidade, foram discutidos o andamento da recuperação do principal rio que abastece a cidade com água, como cercamentos, plantio de mudas, construção de barraginhas, pagamento a proprietários por serviços ambientais. Além disso, foram discutidos os próximos passos que serão angariar novos recursos e promover qualificações sobre medidas para evitar o assoreamento do rio, como a manutenção de estradas.

A especialista em recursos hídricos da ANA, Consuelo Marra, acompanha o projeto desde o início. Na oportunidade, ela fez visita a área ribeirinha ao rio e falou sobre os trabalhos. “Isso é fruto do esforço de muita gente da Administração Pública e de todos os parceiros do projeto. Houve muitas negociações, reuniões, obras como cercamentos e plantio de mudas às margens do rio e o engajamento dos produtores. É muito bom, profissionalmente e pessoalmente, participar desse projeto”, disse Consuelo.

Equipe de Limpeza capinou Rua Expedicionários

Luciano Costa.

 

Além da Rua Expedicionários, Ruas Perdigão, Januária, Oliveira e Diamantina também receberam capina.  O cidadão Luciano Costa elogiou o serviço. “A capina está sendo bem feita, é uma coisa para a população, deixa a cidade mais limpa”, diz.

Rua Oliveira no Bairro São Vicente recebeu capina e limpeza

João

 

“A capina está sendo boa, um serviço bom, estou satisfeito”, comenta João da Silva que mora na região. Além da Rua Oliveira, a equipe de limpeza já passou pelas Ruas Diamantina, Perdigão, Formiga e Expedicionários.

Rua Diamantina no Bairro São Vicente recebeu limpeza e capina

Zélia e Manoel.

Além da Rua Diamantina, Rua Oliveira, Perdigão e Januária também já foram limpas. A equipe de limpeza está capinando todo o Bairro São Vicente.

Eu acho que é bom porque ajuda a evitar que as pessoas joguem mais lixo na rua. Porque se verem que tá limpando, elas têm mais consciência de jogarem o lixo no lugar certo”, diz Manoel Reis, que mora na região.

Secretaria de Meio Ambiente limpou ruas do Bairro São Vicente

Rua Januária

Luciene

A Equipe da Limpeza capinou a Rua Januária no Bairro São Vicente. Outras ruas do Bairro, como Diamantina, Perdigão e Oliveira também receberam capina e limpeza.

“É muito bom estar limpando e eu acho que o pessoal tem que ter consciência e colocar o lixo no lugar certo”, diz Luciene Aparecida, que mora na Rua.