Prefeitura Municipal de Bom Despacho

Atenção: as funções do site requerem que o Javascript esteja habilitado!
Ative-o e recarregue a página novamente.

Hoje, vereadores votarão projeto que possibilitará a implantação do Ensino em Tempo Integral

Hoje, vereadores votarão projeto que possibilitará a implantação do Ensino em Tempo Integral

Caso reprovado, Prefeitura perderá o dinheiro para implementar o Ensino em Tempo Integral. Além disso, quase 800 crianças que estudam pelo Estado perderão a oportunidade de integrar a rede municipal. Sendo da rede municipal eles terão aula o dia todo e ainda receberão materiais didáticos de escolas particulares; material escolar de graça; terão aulas de inglês, informática, violão, e muito mais.

Hoje (21), os vereadores vão definir o futuro de quase 2 mil crianças que estudam em Bom Despacho. Os parlamentares votarão um projeto que possibilitará a oferta do ensino em Tempo Integral para todos os alunos da fase fundamental. Também autorizarão que quase 800 alunos que hoje estudam pelo Estado integrem a rede municipal e tenham um dos melhores ensinos do País.

Com o Ensino em Tempo Integral, as crianças ficarão nas escolas de 7h às 17h. Neste período, elas terão, além das aulas tradicionais, reforço escolar; aulas de violão, ioga, futsal, muay thai. Também terão aulas de xadrez, inglês e informática. Todos receberão 5 refeições saudáveis por dia e ainda terão atendimento psicológico constante.
A Prefeitura já oferece o tempo integral para todos os alunos da Escola Flávio Cançado e para algumas turmas das Escolas Coronel Praxedes e João Dornas. “Com a transferência de quase 800 alunos das escolas estaduais para a rede municipal, o Estado nos repassará R$ 6 milhões que serão usados para ampliar o Tempo Integral”, destacou a secretária de Educação, Gabriela Fernandes.

Importante – o Estado estuda municipalizar todas as escolas de ensino fundamental de Minas Gerais. Por tanto, se o projeto que está na Câmara for reprovado e o Município não puder celebrar este convênio, há grande chance de os alunos das escolas estaduais serem transferidos para o Município da mesma forma, porém, sem o repasse dos R$ 6 milhões.

Imprimir