Prefeitura Municipal de Bom Despacho

Atenção: as funções do site requerem que o Javascript esteja habilitado!
Ative-o e recarregue a página novamente.

Notificações de dengue estão caindo em BD

Prefeitura Municipal de Bom Despacho


Bom Despacho entrou em 2013 com um dos maiores índices de ocorrência do pernilongo da dengue em Minas Gerais. Na época, o índice medido pelo LIRA chegou a 12,5%, quando o máximo aceitável é de 1%.

Esse número alarmante apontava para uma catástrofe na cidade, inclusive com previsão de mortes por dengue.

Mas com três meses de trabalho a Secretaria da Saúde reverteu a situação e as notificações de dengue estão caindo. Enquanto na terceira semana de março houve 109 casos notificados, na penúltima semana de abril esse número caiu para 44 notificações.

“O intenso combate ao pernilongo da dengue feito pela Prefeitura evitou uma tragédia na cidade”, destacou o secretário da Saúde, Sérgio Cabral.

Ações desenvolvidas

Em quatro meses o número de agentes de saúde na cidade passou de 9 para 43. Mais 6 agentes serão contratados nos próximos dias. O número de bombas costais usadas na pulverização de quintais subiu de 3 para 8. “Além disso, a fiscalização em casas e lotes e o treinamento intenso dos profissionais da rede de saúde foram determinantes para a melhoria do cenário”, diz Sérgio.

O Secretário lembrou ainda que “a limpeza de lotes vagos que vem sendo feita na cidade é outro fator que também está contribuindo para diminuir os casos de dengue”.

Outro dado muito positivo, além da redução das notificações, é o baixo percentual de positividade dos casos notificados. Enquanto em outras cidades da região esse índice está por volta de 30%, em Bom Despacho menos de 5% dos casos notificados têm confirmação positiva.

Exemplo para a região

O resultado do trabalho foi tão bom que, no final de março, a diretora da Superintendência Regional de Saúde, Kênia Carvalho, citou Bom Despacho como exemplo a ser seguido no controle da dengue entre todas as cidades da região.

A Secretaria da Saúde está fazendo a parte dela. Agora, cabe ao cidadão manter a guarda e limpar lotes e quintais, porque o período de maior risco de epidemia de dengue ainda vai até final de maio”, concluiu Sérgio Cabral.



Imprimir