Prefeitura Municipal de Bom Despacho

Atenção: as funções do site requerem que o Javascript esteja habilitado!
Ative-o e recarregue a página novamente.

Prefeitura inaugura Sala de Inclusão Digital na Escola Dona Duca

Prefeitura Municipal de Bom Despacho

Mais de 500 alunos foram beneficiados com os equipamentos de informática

A Prefeitura inaugurou hoje (2), a Sala de Inclusão Digital da Escola Dona Duca. Mais de 500 alunos foram beneficiados com a doação do Ministério Público do Trabalho (MPT). A sala tem 10 computadores, 10 jogos com mesas e cadeiras, além de uma impressora.

Os equipamentos foram doados por meio do Programa de Educação Contra Exploração do Trabalho da Criança e do Adolescente (Peteca), realizado pelo MPT em 2013. É um prêmio da instituição para as escolas que apresentam as melhores ações de combate ao trabalho infantil, ao trabalho irregular de adolescentes e à evasão escolar.

A escola Dona Duca se inscreveu, desenvolveu um projeto sobre o tema, venceu e agora, foi premiada. “As empresas irregulares são multadas e nós aplicamos esses recursos na educação das crianças, orientando as pessoas e equipando as salas de informática”, conta a procuradora Elaine Noronha Nassif, durante a inauguração.

O Prefeito Fernando Cabral participou da solenidade, juntamente com a secretária de Educação Simone Mamede, a vereadora Keké, diretoras da rede municipal, servidores e alunos da escola beneficiada. As crianças estavam animadas com a nova sala de aula e com a presença do Prefeito. Para compensar o carinho, Cabral brincou com os pequenos e arrancou deles muitas gargalhadas. “Fico muito feliz com todo esse carinho e retribuo com atenção, muito trabalho e investimentos na educação”, diz.

Mais Peteca nas escolas – Durante a inauguração, o Prefeito Fernando Cabral e a procuradora Elaine Nassif assinaram um Termo de Cooperação para inserir o Projeto Peteca nas escolas do município. “Esse projeto ensinará aos alunos e seus pais que criança tem que brincar, estudar e se preparar para o futuro. Trabalho é para adultos”, afirma Fernando Cabral.

Imprimir